LUGARES DE LEITURA

sexta-feira, 14 de novembro de 2008

FLORES MORTAS



Waldeck Luiz

quando o sol esconde seu corpo

quando seu gosto em minha boca

seu cheiro

um cheiro forte

ainda que passem os anos

não vou desfrutar desse instante

quando nosso erro passou a ser nosso futuro

sem momentos

não vamos cantar flores mortas pra ti

vamos nos concentrar em nos maltratar

nossa maldade e inerente aos fatos

somos flores mortas

somos corações sem pressentimentos

somos a própria morte personificada em bondade

não quero mais

não sinto mais

não tenha pena de mim

não entenda os fatos

sinta o cheiro de lençol em chamas

Nenhum comentário: