LUGARES DE LEITURA

quarta-feira, 29 de maio de 2013


O CANTO DA SEREIA

 

MEU CORPO ESTÁ QUEBRADO

MINHA ALMA DESMANCHADA EM LÁGRIMAS

MEU CORAÇÃO EM DÚVIDAS

PEÇO SOCORRO PRA LUA

EU CANTO E VEJO SEU SORRISO

SEU CORPO

E QUANDO ESCUTO SUA VOZ

FICO ENCANTADO

COMO O CANTO DA SEREIA

IMAGINO VOCÊ SÓ PRA MIM

ACORDO DESTA LOUCURA

ABRO OS OLHOS E FECHO O CORAÇÃO

MAS A SAUDADE É CERTEIRA

COMO A AREIA DO MAR

SINTO O VENTO NO ROSTO

E A LUA ILUMINANDO A AREIA

E NOSSOS CORPOS ENTRELAÇADOS

SERIA O PRESENTE

MAIS QUE PERFEITO

segunda-feira, 27 de maio de 2013

A SALVAÇÃO DO NÔMADE


 


SEUS DESEJOS

IDEIAS

SEUS MOMENTOS DE FÚRIA

ESTOU DIANTE DE CAMINHOS

EU SIGO ESTES CAMINHOS

A VIDA SEMPRE ME MOSTRA NOVAS PESSOAS

PESSOAS FRIAS

EU SENTO NA FRENTE DA T.V

E PARECE QUE EU VOU MORRER MAIS CEDO

ENTAO PEGO O CARRO E SAIO NA ESTRADA

E NA RÁDIO EU ESCUTO IRA!

E EU TAMBÉM PENSO PRA ONDE EU VOU

DEIXO AS LUZES BAIXAS

E OS OLHOS ATENTOS

O CORAÇÃO TRINCADO NO MEIO DO CAMINHO

E OS PÉS PRESOS NO PEDAL

110, 120, 130...

NA CENA DO CRIME EU VIA VOCÊ

ESSA HISTERIA NO CORREDOR

EU SÓ QUERIA TER VOCÊ

EU SEMPRE ESPERO VOCE APARECER

NA JANELA DA SUA CASA

EU ESPERO QUE UM DIA VOCE SENTE AQUI

E NA ESTRADA VAMOS CORRER

TALVEZ FUGIR

EU NÃO AGUENTO MAIS ESPERAR

VOCE OLHAR PRA MIM

E ME DAR UMA ESPERANÇA
 
E QUANDO VOCÊ RESOLVER APARECER
 
EU QUERO ESTAR NA METADE DO CAMINHO
 
PRA PODER VOLTAR QUANDO VOCÊ PEDIR
 
110,120,130...
 
EU QUERO SIMPLISMENTE OLHAR SEU OLHAR
 
E TER CERTEZA
 
E A CHUVA SE CONFUNDI COM MINHAS LÁGRIMAS
 
EU QUERO ENTENDER O PORQUE DE TUDO ISTO
 
NADA MAIS ME FAZ SENTIDO
 
NESTA ESTRADA SEM FIM
 
EU NÃO AGUENTO MAIS ANDAR SOZINHO
 
para uma mulher especial ( adriana )
 
 
 

 

NOVIDADES

 

Talvez você não perceba

Eu não vou mais brigar

Não vou mais usar suas roupas

 

Eu vou tentar mudar

Eu vou caminhar na estrada do índio

 

Vou disfarçar

Vou sentir toda força da juventude

 

Vou te ajudar a limpar a casa

E vou fugir dela também

 

Não é fácil entender

Quando cobramos dos outros

Olhe em si

Olhe em mim

segunda-feira, 13 de maio de 2013

SEMPRE ( waldeck)

buscamos o que é melhor
deixamos o que temos de melhor
e colhemos sempre espinhos

sempre sofremos
sempre fugimos da dor
essa dor !

sempre sincero
sempre transparente
sempre aberto
sempre

doamos sempre com repetição
mas sempre nos buscam pra sugar
e depois somos jogados fora

quando precisamos de um ombro amigo
ou de uma voz de apoio
nunca servimos mais

sempre nos buscam
pra nos consumir
mas quando você não serve
joga-se na lata de lixo da vida

e sempre o som de minha voz
de meu choro
de minha alma

talvez essa dor
talvez minha voz tremula
sempre me lembrará
que não devemos nos doar tanto
sem receber

basta assim
pra sempre buscar
sempre!