LUGARES DE LEITURA

quarta-feira, 4 de setembro de 2013

TEMPO

Quanto tempo
Por quanto tempo
Faz tempo
Tempo voa

Saudade daqueles tempos
Tempos bons
Tempos ruins

E eu aqui sozinho no meu mundo
Novamente tempo, tempo, tempo...

Sou louco, anormal, sou vida, sou de Deus
A obra termina o que o tempo parou
E eu aqui
Novamente.

Ás vezes sou abstracto
Estrato de sentimentos
Manipulado
Ouvido
Ás vezes sou contradição

Por onde andam os caminhos 
Perdidos e tristes
Mais uma vez meu coração está tosco e pobre 
Mais uma vez

É engraçado como o tempo muda 
Mudam as coisas
É capaz de mudar até os sentimentos
Como o opróbrio tem mais poder sobre a água límpida
Turvas são suas palavras, pesadas, carregadas de ódio e razão

Tempo...
Somente você irá me mostrar


Nenhum comentário: